Palocci na polícia

O ministro será ouvido na quinta-feira pela Polícia Civil do Distrito Federal a pedido do delegado de Ribeirão Preto, Benedito Antonio Valencise, no inquérito que apura irregularidades cometidas à frente da prefeitura da cidade.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:25

Agrado aos prefeitos

Os jornais publicam que Lula se antecipou a uma marcha de prefeitos a Brasília na busca de mais recursos e fez promessas de mais dinheiro. Para o jornal O Globo, Lula prometeu destinar mais R$ 2 bilhões incluindo repasses para o programa da merenda escolar, dinheiro do BNDES para compra de equipamentos e ainda elevação das parcelas do Fundo de Participação dos Municípios. Neste caso, a decisão precisa ainda passar pelo Congresso.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:25

Sem aliança

Para o jornal O Estado de S. Paulo, parte do PFL está disposta a sair da aliança com o PSDB, pela qual indicaria o vice na chapa de Geraldo Alckmin. O assunto foi levado a Alckmin ontem pelo prefeito do Rio de Janeiro, César Maia. A campanha do ex-governador é alvo de críticas e o jornal dedica um editorial a ela – “Campanha sem substância”.
Hoje, o PSDB inicia inserções no horário gratuito do partido, em cadeia de rádio e TV, buscando colocar em mais evidência a campanha de Alckmin.
Em conversa com um grupo de prefeitos, Lula disse que ainda é cedo para afirmar que Geraldo Alckmin vá disputar com ele, porque tem gente no PSDB que quer tirá-lo da disputa.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:24

Perguntas a Lula

O jornal Folha de S. Paulo publica que a CPI dos Bingos se prepara para votar requerimento do senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) propondo que sejam encaminhadas perguntas a Lula sobre as circunstâncias em que tomou conhecimento do episódio da violação do sigilo do caseiro Francenildo Costa. O questionário tem oito perguntas e insiste em apurar a atuação do presidente entre o momento da quebra do sigilo e o ato de demissão e Palocci.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:24

Jogo eleitoral continua favorável para Lula

Murillo de Aragão

Apesar do tiroteio político, o jogo da sucessão presidencial só começa para valer a partir de julho, quando os candidatos e as coligações forem confirmados. Até lá, é pouco provável que Lula perca sua liderança nas pesquisas de intenção de voto. Salvo fato novo extraordinário. Isto porque a mídia eletrônica continua muito favorável ao presidente. Além disso, apesar de a crise política continuar sendo tema de jornais e revistas, o noticiário da mídia impressa demora a afetar a imagem do presidente. Paralelamente a isso, Lula continua se beneficiando de alguns bons resultados da economia, como queda na taxa de juros e auto-suficiência na produção de petróleo. Isso sem falar no aumento de gastos do Poder Executivo, especialmente para a área social e de investimentos.
Lula também é beneficiado pela indefinição e falta de foco de adversários. O PMDB continua muito dividido. Parte do partido quer ficar com Lula. Outros preferem que a legenda fique livre para coligações estaduais. Os dois pré-candidatos (Anthony Garotinho e Itamar Franco) não são levados a sério por formadores de opinião e pela imprensa em geral. Prevalece o sentimento de que o PMDB, no final das contas, não terá candidato próprio.
No PSDB, a situação também não é boa. Geraldo Alckmin (PSDB) trava uma luta constante para crescer nas pesquisas e torce para que não perca a segunda posição na corrida sucessória para Garotinho. Tem sido criticado por fazer reuniões nos estados apenas com os caciques locais, desprezando o encontro com o chamado “baixo clero”. Sua campanha anda em ritmo morno. Depois que conseguiu derrotar José Serra na disputa interna, Alckmin parece ter perdido vitalidade. Mesmo sem esperar algum crescimento explosivo, Alckmin deveria estar ocupando espaços na mídia, debatendo suas idéias e mostrando mais ação. Outros partidos, como o PPS, PSOL e PDT estão mais preocupados com a elaboração de uma estratégia para vencer a cláusula de barreira do que em atacar Lula.
Lula adotou algumas táticas claras inteligentes. Uma delas é a adoção de medidas que beneficiam setores específicos. Empresários, aposentados, jovens e desempregados estão na lista de beneficiados. Outra medida é o anúncio periódico e programado de boas notícias. Cria-se um contraponto ao noticiário político ruim. A rápida saída de Palocci também faz parte do novo figurino. Lula evitou que o sangramento de Palocci o atrapalhasse. Outro ponto importante é o investimento maciço em propaganda. Principalmente, na mídia eletrônica e na mídia regional, fora dos grandes centros. Até junho, Lula pretende criar um fato político positivo por semana. Significa que irá continuar a abrir o saco de bondades do governo.
Face ao bom desempenho da economia, aumento de gastos por parte do Poder Executivo e indefinição/falta de foco dos adversários, Lula tende a continuar na liderança das pesquisas de intenção de voto por algum tempo. É o que mostrou a Revista Veja deste final de semana. Ela menciona uma pesquisa feita pelo Ibope para um cliente do mercado financeiro onde Lula continua liderando, com cerca de 40%. Alckmin permanece em segundo. Garotinho, um pouco melhor que as pesquisas anteriores, aparece em terceiro. Como a pesquisa não foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral, não pode ser divulgada.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 9:52

Na Corregedoria

O jornal O Globo publica que o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), disse que vai encaminhar à corregedoria da Casa a notícia publicada sobre gastos excessivos de combustível pagos pela Câmara. A denúncia é que há deputados abastecendo veículos de suas empresas e levando as notas para serem pagos pela Câmara.

Enviado por Murillo de Aragão 24, abril, 2006 | 10:59

Futuro promissor

O jornal O Estado de S. Paulo pública que o PSDB está preocupado com os índices da campanha do pré-candidato Geraldo Alckmin. O pré-candidato, no entanto, acha que é pela televisão que a aceitação de seu nome vai decolar. Na sua avaliação, quem aparece na televisão a todo momento é Lula.
A coluna Painel (Folha de S. Paulo) publica que, após pesquisa qualitativa, o cientista político, Antonio Lavareda, desenhou um futuro promissor para Alckmin. Chega a falar na definição do pleito ainda no primeiro turno, com vitória do ex-governador de São Paulo.

Enviado por Murillo de Aragão 24, abril, 2006 | 10:59

Ofensiva na CPI

O jornal Folha de S. Paulo publica que o governo executa uma ofensiva para enfrentar a oposição na CPI dos Bingos. Nos bastidores, estimula depoentes a recorrerem ao Supremo Tribunal Federal para garantir o direito de ficar calado. Isso, sempre que as perguntas dos membros da CPI representarem uma ameaça a Lula. Há quase um mês, a CPI enfrenta dificuldades para aprovar requerimentos polêmicos, como o que pede a quebra de sigilo bancário do presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, e a convocação do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso.

Enviado por Murillo de Aragão 24, abril, 2006 | 10:58

"Corte necessário"

O ministro do Planejamento, Paulo Barnardo, assegura que o superávit primário não será menor do que 4,25% do PIB. Haverá corte grande no Orçamento, “o corte necessário”: “Não vamos deixar nenhuma margem de dúvida quanto ao superávit primário (jornal Valor Econômico). A Folha publica que o governo ensaia “aumento estratégico” do superávit. Fala-se em 4,35% do PIB.

Enviado por Murillo de Aragão 24, abril, 2006 | 10:58

“Corte necessário”

O ministro do Planejamento, Paulo Barnardo, assegura que o superávit primário não será menor do que 4,25% do PIB. Haverá corte grande no Orçamento, “o corte necessário”: “Não vamos deixar nenhuma margem de dúvida quanto ao superávit primário (jornal Valor Econômico). A Folha publica que o governo ensaia “aumento estratégico” do superávit. Fala-se em 4,35% do PIB.

Enviado por Murillo de Aragão 24, abril, 2006 | 10:58