A imprensa e o clima político

presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), manda arquivar pedido de CPI para investigar negócios envolvendo parentes de Lula. O governo trabalha para esvaziar a CPI dos Bingos. Busca substituir o representante do PTB na comissão para garantir maioria. O ministro Tarso Genro reúne-se com prefeitos e mantém a promessa de Lula de aumentar os recursos para as prefeituras, injetando mais R$ 1,4 bilhão ainda neste ano. O ministro disse que um encontro do PT no fim de semana vai marcar a “refundação” do partido, com o afastamento dos envolvidos com o esquema do mensalão. O ex-ministro José Dirceu está convocado a prestar depoimento no Ministério Público em Santo André, na próxima semana (04/05). Os promotores acham que uma parte do dinheiro do esquema de corrupção na cidade passou pelas mãos dele para financiar o PT. Os gastos do Governo Federal cresceram 14% no início do ano eleitoral e a principal causa do aumento está nas despesas com pessoal.

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:12

Reação de Thomaz Bastos

O governo avalia que os ataques como aqueles feitos ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, vão ser mais freqüentes. O ministro prepara depoimento mais duro no Senado, onde a oposição quer voltar a ouvi-lo sobre o episódio da violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, como publica o jornal Valor Econômico.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:28

Denúncia contra o MST

O Ministério Público do Rio Grande do Sul denunciou 36 pessoas ligadas ao MST pela invasão feita em março ao laboratório da Aracruz Celulose, com a destruição de mudas de árvores e equipamentos, representando prejuízos estimados em R$ 880 mil. Entre os denunciados está o dirigente do movimento, João Pedro Stédile (O Estado de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:28

Propina a Mentor

No mesmo instante em que o Plenário da Câmara estava reunido para julgar José Mentor (PT-SP), na quarta-feira da semana passada, era protocolado na Mesa Diretora da Casa representação contra o deputado. O doleiro Ricardo Andrew de Mol contou ao Ministério Público de SP que pagara R$ 300 mil ao deputado para que excluísse seu nome do relatório da CPI do Banestado. O assunto segue hoje para a Corregedoria da Câmara (O Estado de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:27

Campanha antes da hora

O PFL entrou com representação no Tribunal Superior Eleitoral contra o horário partidário do PT. Na avaliação do PFL, Lula está antecipando a campanha eleitoral e pede a cassação de todo o programa em nível nacional pelo rádio e televisão, conforme notícia do jornal O Globo.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:26

Palocci na polícia

O ministro será ouvido na quinta-feira pela Polícia Civil do Distrito Federal a pedido do delegado de Ribeirão Preto, Benedito Antonio Valencise, no inquérito que apura irregularidades cometidas à frente da prefeitura da cidade.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:25

Agrado aos prefeitos

Os jornais publicam que Lula se antecipou a uma marcha de prefeitos a Brasília na busca de mais recursos e fez promessas de mais dinheiro. Para o jornal O Globo, Lula prometeu destinar mais R$ 2 bilhões incluindo repasses para o programa da merenda escolar, dinheiro do BNDES para compra de equipamentos e ainda elevação das parcelas do Fundo de Participação dos Municípios. Neste caso, a decisão precisa ainda passar pelo Congresso.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:25

Sem aliança

Para o jornal O Estado de S. Paulo, parte do PFL está disposta a sair da aliança com o PSDB, pela qual indicaria o vice na chapa de Geraldo Alckmin. O assunto foi levado a Alckmin ontem pelo prefeito do Rio de Janeiro, César Maia. A campanha do ex-governador é alvo de críticas e o jornal dedica um editorial a ela – “Campanha sem substância”.
Hoje, o PSDB inicia inserções no horário gratuito do partido, em cadeia de rádio e TV, buscando colocar em mais evidência a campanha de Alckmin.
Em conversa com um grupo de prefeitos, Lula disse que ainda é cedo para afirmar que Geraldo Alckmin vá disputar com ele, porque tem gente no PSDB que quer tirá-lo da disputa.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:24

Perguntas a Lula

O jornal Folha de S. Paulo publica que a CPI dos Bingos se prepara para votar requerimento do senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) propondo que sejam encaminhadas perguntas a Lula sobre as circunstâncias em que tomou conhecimento do episódio da violação do sigilo do caseiro Francenildo Costa. O questionário tem oito perguntas e insiste em apurar a atuação do presidente entre o momento da quebra do sigilo e o ato de demissão e Palocci.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 10:24

Jogo eleitoral continua favorável para Lula

Murillo de Aragão

Apesar do tiroteio político, o jogo da sucessão presidencial só começa para valer a partir de julho, quando os candidatos e as coligações forem confirmados. Até lá, é pouco provável que Lula perca sua liderança nas pesquisas de intenção de voto. Salvo fato novo extraordinário. Isto porque a mídia eletrônica continua muito favorável ao presidente. Além disso, apesar de a crise política continuar sendo tema de jornais e revistas, o noticiário da mídia impressa demora a afetar a imagem do presidente. Paralelamente a isso, Lula continua se beneficiando de alguns bons resultados da economia, como queda na taxa de juros e auto-suficiência na produção de petróleo. Isso sem falar no aumento de gastos do Poder Executivo, especialmente para a área social e de investimentos.
Lula também é beneficiado pela indefinição e falta de foco de adversários. O PMDB continua muito dividido. Parte do partido quer ficar com Lula. Outros preferem que a legenda fique livre para coligações estaduais. Os dois pré-candidatos (Anthony Garotinho e Itamar Franco) não são levados a sério por formadores de opinião e pela imprensa em geral. Prevalece o sentimento de que o PMDB, no final das contas, não terá candidato próprio.
No PSDB, a situação também não é boa. Geraldo Alckmin (PSDB) trava uma luta constante para crescer nas pesquisas e torce para que não perca a segunda posição na corrida sucessória para Garotinho. Tem sido criticado por fazer reuniões nos estados apenas com os caciques locais, desprezando o encontro com o chamado “baixo clero”. Sua campanha anda em ritmo morno. Depois que conseguiu derrotar José Serra na disputa interna, Alckmin parece ter perdido vitalidade. Mesmo sem esperar algum crescimento explosivo, Alckmin deveria estar ocupando espaços na mídia, debatendo suas idéias e mostrando mais ação. Outros partidos, como o PPS, PSOL e PDT estão mais preocupados com a elaboração de uma estratégia para vencer a cláusula de barreira do que em atacar Lula.
Lula adotou algumas táticas claras inteligentes. Uma delas é a adoção de medidas que beneficiam setores específicos. Empresários, aposentados, jovens e desempregados estão na lista de beneficiados. Outra medida é o anúncio periódico e programado de boas notícias. Cria-se um contraponto ao noticiário político ruim. A rápida saída de Palocci também faz parte do novo figurino. Lula evitou que o sangramento de Palocci o atrapalhasse. Outro ponto importante é o investimento maciço em propaganda. Principalmente, na mídia eletrônica e na mídia regional, fora dos grandes centros. Até junho, Lula pretende criar um fato político positivo por semana. Significa que irá continuar a abrir o saco de bondades do governo.
Face ao bom desempenho da economia, aumento de gastos por parte do Poder Executivo e indefinição/falta de foco dos adversários, Lula tende a continuar na liderança das pesquisas de intenção de voto por algum tempo. É o que mostrou a Revista Veja deste final de semana. Ela menciona uma pesquisa feita pelo Ibope para um cliente do mercado financeiro onde Lula continua liderando, com cerca de 40%. Alckmin permanece em segundo. Garotinho, um pouco melhor que as pesquisas anteriores, aparece em terceiro. Como a pesquisa não foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral, não pode ser divulgada.

Enviado por Murillo de Aragão 25, abril, 2006 | 9:52