A imprensa e o clima político

Lula disse ontem que comparado com as situações vividas pelo PSDB e pelo PMDB, o PT está tranqüilo. Lula se recusou a falar sobre o episódio da violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, alegando que isso é assunto para a Polícia Federal e para CPI. Voltou a dizer que não tem pressa em anunciar sua candidatura à reeleição porque tem muita inauguração pela frente e seria atacado pela oposição. O ex-ministro da Fazenda será indiciado hoje por carta precatória pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e falsidade ideológica cometidos quando era prefeito de Ribeirão Preto. O ex-presidente da Câmara Severino Cavalcanti (PE) reapareceu ontem e falou de uma grande pizza no Congresso, observando que ninguém mais será cassado. Alckmin juntamente com os presidentes do PSDB e PFL aguardam a convenção do PMDB, no dia 13/05, para formalizar a aliança com vistas à disputa da Presidência da República.

Enviado por Murillo de Aragão 27, abril, 2006 | 10:26

Partido tranqüilo

“Quando vejo a situação do Alckmin e a angústia do Renan eu penso: puxa, até que o PT é um partido tranqüilo” – assim reagiu Lula em clima de campanha eleitoral, ao participar do lançamento de um livro do senador Aloizio Mercadante, líder do governo no Senado. Ele reafirmou que não tem pressa em anunciar que é candidato porque tem muita inauguração pela frente. Se dissesse que é candidato, não poderia participar desses atos (O Estado de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 27, abril, 2006 | 10:26

Depoimento de Dirceu

O ex-ministro José Dirceu foi convocado a prestar depoimento na próxima semana, dia 04/05, no inquérito que investiga um esquema de corrupção na prefeitura de Santo André (SP), na administração do prefeito petista Celso Daniel, assassinado em 2002. Os promotores suspeitam que parte dos R$ 100 milhões movimentados pelo esquema tenha passado pelas mãos do ex-ministro para financiar campanhas do PT (O Estado de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:14

Garotinho devolve dinheiro

O pré-candidato do PMDB à presidência da República, Anthony Garotinho (RJ) anunciou em seu site que vai devolver a quantia de R$ 650 mil recebida de doadores para financiar sua campanha às previas do partido, na disputa com o governador gaúcho, Germano Rigotto (Folha de S. Paulo). Doadores de Garotinho estão sob suspeita de serem empresas de fachada ou que faziam negócios com o Estado (O Globo).


Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:14

Tensão dificulta aliança

Falta de entendimentos em três estados (BA, SE e MA) estão dificultando os entendimentos entre o PSDB e o PFL para fechar a chapa que vai disputar contra Lula. Nesses estados, o PSDB resiste a apoiar os indicados do PFL para a disputa dos governos locais. Uma reunião para tratar do assunto foi realizada ontem entre o candidato Geraldo Alckmin e os presidentes do PSDB, Tasso Jereissati, e do PFL, Jorge Bornhausen (Folha de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:14

Processo contra Mentor

A Corregedoria da Câmara dos Deputados decidiu abrir processo contra o deputado José Mentor (PT-SP), acusado pelo Ministério Público de São Paulo de haver recebido R$ 300 mil de um doleiro para que excluísse seu nome do relatório final da CPI do Banestado. Mentor foi absolvido do envolvimento com o esquema do mensalão, apesar de o Conselho de Ética da Câmara tê-lo condenado por recebimento de R$ 120 mil (O Globo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:13

Promessas a prefeitos

O ministro da Coordenação Política, Tarso Genro, reafirmou a um grupo de prefeitos a promessa de Lula de enviar ao Congresso proposta para aumentar de 22,5% para 23,5% o Fundo de Participação dos Municípios, o que significaria mais R$ 1,4 bilhão nos cofres das prefeituras ainda neste ano. Durante o encontro, Tarso falou na “refundação” do PT, com o afastamento de todos que se envolveram com o esquema do mensalão. Foi contestado por partidários de José Dirceu (Folha de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:13

Inquérito pronto

O delegado da Polícia Federal, Rodrigo Carneiro Gomes, encarregado do inquérito para apurar a violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, enviou cópia das conclusões à Justiça Federal e ao Senado. Além dos nomes de pessoas já indiciadas (Palocci, Marcelo Netto e Jorge Mattoso) são citados ainda o senador Jorge Viana (PT-AC), dois assessores do ministro da Justiça (Daniel Goldberg e Cláudio Alencar), além de funcionários da Caixa Econômica Federal (O Globo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:13

Sem objetivo definido

Sob o argumento de que o requerimento apresentado pelo senador Almeida Lima (PMDB-SE) não tinha objetivo definido para instalação de uma CPI, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), arquivou o pedido de investigação de fatos envolvendo diretamente Lula e seus familiares. A oposição pode recorrer da decisão de Renan ao Supremo Tribunal Federal (O Estado de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:12

CPI dos Bingos

A CPI dos Bingos, chamada de CPI do Fim do Mundo, pode antecipar o prazo de seu encerramento. Ontem não houve quorum para uma reunião administrativa e o governo manobra para obter a troca do representante do PTB na comissão (senador Mozarildo Cavalcanti-RR). O senador é o líder do partido no Senado e só deixará a comissão se quiser. Caso se afaste, o governo terá maioria, o que dificultará a aprovação de requerimentos polêmicos, como o que inclui oito perguntas a serem encaminhadas a Lula sobre sua participação no episódio da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa (O Estado de S. Paulo).

Enviado por Murillo de Aragão 26, abril, 2006 | 10:12